Center for Advanced Postgraduate Formation

Guimarães / Portugal / 2013

38
38 Love 4,406 Visits Published
The buildings complex where the Munipality of Guimarães now built the Center for Advanced Postgraduate Formation for the University of Minho, is located in the “Zona de Couros” (Leathers Zone), and relates to the rest area by a set of small alleys and paths that, following the existing small river, constitute the road structure in the area. The image of “Zona de Couros” is characterized by abandoned or transformed buildings but also memories, sometimes imaginary and subjective, that people developed from the fragments which have reached our days. From those fragments we can retain the treatment leathers tanks we can find a bit all over this area, the buildings and structures in wood and naturally the small river that was the reason for the installation of this activity (treatment of leathers) in this area. It mattered since the begining of the project process the building location in “Zona de Couros”, an area that suffered some urban segregation from the adjacent walled core of the historic center of Guimarães, but sedimented a rich and autonomous solutions and constructions of industrial buildings that together have an undeniable architectural interest, and immediately provided some themes for reflection and development. One of those complexs are the buildings that were occupied by the former factory “Freitas & Fernandes”. We're not referencing a single building but a set of constructions arranged around a large courtyard, which largely witness the successive events which shaped “Zona de Couros” we know it today. Part of those buildings are now rehabilitated with the installation of CAFPG. The set of buildings used for CAFPG - UM, are located west of the large inner courtyard, and was those that have been successively adapted to the needs of the textile production and presented a very unequal condition conservation. In the area now occupied by the CAFPG buildings had become very transformed, either constructively altered (by the introduction of structures in reinforced concrete and brick walls) or spatially (by introducing new levels and access), which made virtually impossible the apprehension of its original state. The program chosen witch the project materialized can be summarized, candidly, as a school building for the University of Minho focused in the formation of master's and doctoral degrees and distinguishes itself from other units of the same institution because research and their dedicated spaces occupy prime place, but also because it is located off-campus and in the city center. The building have two floors and reserves recess roofs for use as technical areas. The ground floor hosts the living areas above a double height, pedagogical areas (classrooms) and administrative area. On the first floor are located the offices, laboratories and activity rooms but also the library that conected with social areas seeks a location more reserved and appropriate to its function. The circulation areas have an irregular geometry to give space to the so-called "living lab's" and these will, first of all will be representing areas of the current academic projects. The buildings and the program place a project dilemma, first, the reality of a building very disfigured and unattractive, and after, the existing expectations in his recovery and rehabilitation. To the question of what would be the proper attitude to the expectations of recovery built, we answered with a proposal for a project with greater flexibility options. We avoid a rigid approach on intervention and implementation, and used a pragmatic and detailed response to each of the equations and problems the project faced. Unknowing the reality of the original building everything would have to go through their reinvention using schematic images cleared of its concrete contents. Generally, we proposed the demolition of all the areas where we guessed the substitution of original constructive solutions for brick walls and full demolition of existing structures in reinforced concrete, and paradoxically also propose as a fundamental principle the maintenance of the volumetry as an essential repository of the existing building memory. This is the paradox of the project, the reinvention of the building keeping unchanged its volumetry, using for his external definition elements that characterizes the “Zona de Couros”, wood and granite finishes, or even use systems of light construction when proposing cooper as the finish covers of a significant part of the building. Simultaneously it is proposed the complete reconstruction of the interiors using contemporary materials and languages in order to accommodate and respond to the demands of comfort imposed by regulations. The landscaping project was limited to the small courtyard formed by the buildings subject of intervention and proposed beyond the dominant granite flagstone in paths and access points, the timely introduction of small green areas and a brick paver in order to assure the intimacy of these spaces with a minimal design that would strengthen the presence of the industrial brick chimney. [PT] O conjunto de edifícios onde a Câmara de Guimarães agora construiu o Centro Avançado de Formação Pós-Graduada para a Universidade do Minho, situa-se na Zona de Couros, e relaciona-se com a restante área de Couros pelo conjunto de pequenas ruelas e caminhos que, acompanhando o Ribeiro, constituem a estrutura viária da zona. A imagem da Zona de Couros é marcada por edifícios abandonados ou transformados mas também de memórias, às vezes imaginárias e subjectivas, que os habitantes da cidade foram elaborando a partir dos fragmentos que chegaram até hoje. Desses fragmentos importa reter os tanques de tratamento dos couros que existem um pouco por toda a área, as construções e as estruturas em madeira e naturalmente o Ribeiro de Couros que foi a razão de ser da instalação desta actividade (o tratamento de couros) nesta Zona. Importou desde logo ao projecto a localização do edifício na Zona de Couros, que sabendo-se adjacente do núcleo muralhado do centro histórico de Guimarães, sofreu relativamente ao restante tecido urbano alguma segregação, mas sedimentou um conjunto rico e autónomo de soluções edilícias e construtivas traduzidas em edifícios industriais que no seu conjunto tem inegável interesse arquitectónico, e que desde logo forneceram alguns temas para reflexão e desenvolvimento. Um desses conjuntos são os edifícios que eram ocupados pela antiga Fábrica Freitas e Fernandes. Não estamos a referenciar um edifício unitário mas um conjunto dispare de edificações, dispostas à volta de um grande pátio, que em boa medida dão testemunho dos sucessivos acontecimentos que enformaram a zona de Couros tal como a conhecemos hoje. Parte desses edifícios são agora reabilitados com a instalação do CAFPG. O conjunto de edifícios afectos ao CAFPG da UM, situam-se a poente do grande pátio interior, sendo aqueles que por terem sido sucessivamente adaptado às necessidades produtivas da indústria têxtil se apresentavam em mais desigual no estado de conservação. Na área agora ocupada pelo CAFPG os edifícios apresentavam-se muito transformados e alterados quer construtivamente (com a introdução de estruturas em betão armado e paredes em tijolo), quer espacialmente (com a introdução de novos pisos e acessos), o que tornava virtualmente impossível a apreensão qual o seu estado original. O programa escolhido para este conjunto de edifícios e que o projecto materializou pode ser resumido singelamente como um edifício escolar destinado à Universidade do Minho onde se concentrarão algumas áreas de formação ao nível do mestrado e do doutoramento e distinguese dos outros edifícios da mesma instituição por se destinar exclusivamente a graus onde a investigação e os respectivos espaços dedicados ocupam lugar primordial, mas também por se localizar fora do campus e no centro da cidade. O edifício desenvolve-se em dois pisos reservando-se ainda o desvão dos telhados para a utilização como áreas técnicas. O rés do chão alberga sobretudo as áreas de estar num pédireito duplo, as áreas pedagógicas (salas de aula) e a área administrativa. No primeiro piso localizam-se os gabinetes, os laboratórios e as salas de actividades mas também a biblioteca que relacionando-se com as áreas sociais procura uma localização mais reservada e adequada à sua função. Os espaços de circulação têm uma geometria irregular para darem espaço aos chamados “living lab’s” e estes serão, antes de mais, áreas de representação dos projectos académicos em curso. Os edifícios e o programa que deveriam acolher colocaram um dilema na elaboração do projecto porque nos pôs, primeiro, perante a realidade de um edifício muito descaracterizado e pouco aliciante, e logo depois, perante a expectativa existente na sua recuperação e reabilitação. À pergunta sobre qual seria a atitude adequada face às expectativas de recuperação do edificado respondeu-se com uma proposta de grande flexibilidade nas opções do projecto. Ao contrário de uma intervenção rígida de abordagem e concretização, apostou-se em respostas pragmáticas e circunstanciadas para cada uma das equações e problemas que o projecto enfrentou. Face ao desconhecimento de uma realidade (o edifício original) tudo teria que passar pela sua reinvenção usando imagens esquemáticas e portanto depuradas dos seus conteúdos concretos. Assim, e genericamente, no projecto propôs-se a demolição de todas as áreas onde se adivinharam a substituição das soluções construtivas originais por paredes em tijolo e a demolição integral das estruturas existentes em betão armado. Paradoxalmente propõe também como principio fundamental a manutenção da volumetria entendida como repositório essencial da memória do edificado existente. Este será o paradoxo do projecto, a reinvenção do edifício mantendo inalterada a sua volumetria, usando para sua definição exterior aquilo que é caracterizador da zona de Couros, os revestimentos em madeira e em granito, ou ainda o recurso a sistemas de construção ligeira para a definição das envolventes quando propõe o acabamento em cobre de uma parte significativa do edificado. Simultaneamente propõe-se a reconstrução integral dos interiores com recurso a materiais e linguagens contemporâneas com o intuito de acomodar e responder às exigências de conforto impostas pelos regulamentos vigentes. O projecto de arranjos exteriores foi limitado ao pequeno pátio interior formado pelos edifícios objecto de intervenção e propôs para além do dominante lajeado em granito que marca percurso e acessos, a introdução pontual de pequenas áreas verdes e de um paver em tijolo maciço que assegurasse a intimidade destes espaços num desenho mínimo que reforçasse a presença da chaminé industrial em tijolo.
38 users love this project
Comments
    comment
    user
    Enlarge image

    The buildings complex where the Munipality of Guimarães now built the Center for Advanced Postgraduate Formation for the University of Minho, is located in the “Zona de Couros” (Leathers Zone), and relates to the rest area by a set of small alleys and paths that, following the existing small river, constitute the road structure in the area. The image of “Zona de Couros” is characterized by abandoned or transformed buildings but also memories, sometimes imaginary and subjective, that people...

    Project details
    • Year 2013
    • Work finished in 2013
    • Status Completed works
    • Type Research Centres/Labs
    Archilovers On Instagram
    Lovers 38 users