ZIPOA

Um zipper no tecido urbano uma nova porta para cidade Porto Alegre / Brazil / 2013

13
13 Love 16,106 Visits Published
Trabalho Final de Graduação em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário Ritter dos Reis. Prof. Orientadora: Maria Isabel Marroco Milanez TEMA A ideia inicial que motivou a elaboração deste trabalho se deu no desejo de aproveitar uma grande chance pública que uma obra de infraestrutura de transporte oportuniza. A implantação de uma linha de metro subterrâneo em Porto Alegre desencadeará uma série de transformações na infraestrutura de transporte existente na cidade. Linhas de ônibus serão suprimidas, terminais de ônibus se tornarão obsoletos, corredores de ônibus desaparecerão. E talvez uma das mudanças mais radicais que se configura com a implantação do metrô é a desativação do trecho compreendido entre as Estações Mercado e Farrapos da Linha 1 da TRENSURB. Isso seria possível graças à conexão física entre os sistemas na Estação de Integração Modal Cairú. Diante deste cenário o que temos é um extenso território marcado por uma cicatriz urbana, um expressivo rastro histórico repleto de oportunidade de se gerar cidade. O TERRITÓRIO Em uma primeira escala de abordagem a intenção é fazer uma caracterização desse território através da aplicação da Analise F.O.D.A. em 5 áreas estratégicas elencadas considerando o potencial de sucesso para o planejamento urbano estratégico. ANÁLISE F.O.D.A. É uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário, ou análise de ambiente, sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico. A partir da alimentação das duas colunas por dados específicos do local, gera-se um balanço comparativo dos pontos positivos com os negativos. Como estrutura de análise separa-se os inputs como internos - referentes à organização - e externos - referentes ao entorno – ao ambiente onde está inserido. Aqui se faz uso dessa ferramenta com o objetivo de revelar o foco do trabalho dando suporte para a delimitação da área de intervenção e consequentemente o caráter da operação. A OPERAÇÃO Esse primeiro processo de análise revelou uma animadora hipótese de projeto: Fechar o “Zipper” da cidade! Tecer novas conexões no tecido e recriar a entrada da cidade. Surge a oportunidade de investigar a relação infraestrutura x cidade, de buscar através do desenho urbano e arquitetura da paisagem condições de habitar os espaços intersticiais. Agrupando as Áreas Estratégicas 2 e 3 se constitui um eixo de atuação mais consistente uma vez que reúne entornos com características próprias mas que se complementam quando analisados em um contexto ampliado no caso, a entrada de Porto Alegre. ÁREA 2 A área se caracteriza como um grande nó estratégico concentrando grande parte dos deslocamentos de entrada e saída da cidade podendo ser considerado como a principal porta de entrada da Capital. Este ponto demarca claramente uma divisão no Bairro Navegantes. Nesse aspecto as vias férreas cumprem um papel decisivo. A eliminação desse limite transforma a área numa zona de transição em dois eixos: Transição Norte/Sul (Conexão de um tecido interrompido), Transição Leste/Oeste (Relação Cidade/Lago). A presença marcante dos viadutos traduz a imagem da grande metrópole e suas infraestruturas. A ambiência do lugar frequentemente é cenário para filmes publicitários e por ter frente para o pôr do sol junto ao lago possui forte apelo paisagístico. A presença da Igreja é muito importante e coloca a região no calendário de eventos culturais da cidade e sugere uma ação no sentido de concentrar as atividades do feriado municipal que chega reunir mais de 100 mil fieis. ÁREA 3 Avenida Castelo Branco é o Hall de entrada de Porto Alegre, no entanto não reúne características dignas para tal. Hoje a avenida tratada como rodovia e por ela circulam exclusivamente veículos motorizados estando ciclistas e pedestres proibidos de circular por ali. A avenida se desenvolve ao longo do Dique Navegantes e tem no seu canteiro central a circulação dos trens metropolitanos constituído um forte limite urbano. Como consequência os lotes da Rua Voluntários da pátria dão as costas para a avenida. A desativação da linha viabiliza a consolidação de um bulevar digno de entrada da cidade. Seu canteiro central poderia se tornar um parque linear arborizado e a faixa de lotes da Rua Voluntários da pátria poderia receber um novo regime urbanístico promovendo nova volumetria de duas frentes. EIXOS DE INTERVENÇÃO EIXO 1 - Diretrizes Urbanísticas Definição de Atividades, densidades e volumetria para os lotes situados entre a Av. Castelo Branco e R. Voluntários da Pátria. PROGRAMA Atividades Estabelecer um regime de usos baseado na combinação de funções visando promover dinâmica urbana em diversos horários. Neste caso a atividade residencial, combinada a outros usos, assume um papel central no sentido de garantir uma intensidade funcional contínua além de atuar como motor de financiamento dos equipamentos cívicos. Assumir a característica histórica do 4º Distrito como bairro industrial e promover atividades industriais limpas como montadoras eletroeletrônicas, webfactory, etc. Densidade Densidade é sinônimo de intensidade. Não basta promover a mescla de usos e atividades em um contexto urbano que se pretenda dinamizar sem que haja uma ação contundente no sentido de densificar a região. Se não há pessoas não haverá quem realize essas atividades. Um contexto urbano diverso e denso é ecologicamente correto. Deslocamentos são encurtados e muitas vezes eliminados quando os desejos da população estão próximos. Naturalmente essa premissa implica diretamente em questões de infraestrutura e volumetria o que demanda a esta ação um senso de proporcionalidade e compatibilidade em cada situação específica. Modelo Espacial A soma de densidade com atividades diversas sugere edifícios mais altos e híbridos. A capacidade dos edifícios híbridos de gerar cidade surge do talento de negociação, de empilhar funções que se complementam, para agregar em vez de segregar. Entretanto, a função de habitar é a de mais difícil inserção em programas híbridos, devido às crescentes demandas dos usuários em termos de privacidade e segurança. O equilíbrio entre intimidade e comunidade requer um consenso de interesses compartilhados, um pacto que permita a diversidade sem violar a individualidade. A volumetria que se deseja para a os lotes da Voluntários da Pátria está focado em dois aspectos básicos: gerar planos de fachada para ambos os lados e criar um novo térreo ao nível do dique. EIXO 2 - De Rodovia à Bulevar Parque linear ao longo da Avenida Castelo Branco: Conversão de rodovia em avenida urbana no sentido de torna-la mais amigável à pedestres e ciclistas. Estabelecer um caráter de bulevar e não de rodovia como hoje ela é tratada sem onerar sua capacidade de tráfego. Transformar o canteiro central em um Parque linear arborizado abrigando e promovendo atividades de ócio e práticas esportivas. PROGRAMA Ciclovia Pista cooper Estações de descanso EIXO 3 - Encontro Terra/Água PARQUE NAVEGANTES Parque urbano capaz de atrair o público no âmbito regional. Equipamento de cunho estratégico com potencial de estender / consolidar o corredor econômico-cultural da cidade em direção norte. Área de grande apelo paisagístico fundamental para estabelecer o encontro terra x água tão sonhado em Porto Alegre. PROGRAMA SETOR ÁGUA Cubo Democrático Cinema Arquipélago Restaurante Largo de Eventos e Feiras Doca turística Salão dos Plátanos Praça de acesso Estação hidroviária Estacionamento coberto Passeio do Porto Campo dos Flamboyants Bares container Quadras poli-esportivas SETOR TERRA Jardim Aquático Esplanada Nagegantes Paseio dos Ipês SK8 Parque EQUIPAMENTO ÂNCORA CUBO DEMOCRÁTICO Como equipamento âncora do Parque Navegantes é uma estrutura metálica com 28m de altura revestida de telões. Além de mirante servirá de apoio para shows, transmissões ao vivo, 4 salas de cinema ao ar livre. Em dias de semana exibir informações básicas como horário e temperatura e nos fins de semana promover a fotografia livre dos usuários através de mini cubos fotográficos espalhados pelo parque. Estaria vinculado a agenda cultural do parque incentivando a participação e a criatividade dos cidadãos, artistas, músicos, bandas, atuadores, etc. A ideia é que seja um cubo democrático por essência, mutante e que mostre a cara do Porto-alegrense.
13 users love this project
Comments
View previous comments
    comment
    Enlarge image

    Trabalho Final de Graduação em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário Ritter dos Reis. Prof. Orientadora: Maria Isabel Marroco Milanez TEMA A ideia inicial que motivou a elaboração deste trabalho se deu no desejo de aproveitar uma grande chance pública que uma obra de infraestrutura de transporte oportuniza. A implantação de uma linha de metro subterrâneo em Porto Alegre desencadeará uma série de transformações na infraestrutura de transporte existente na cidade. Linhas de ônibus...

    Project details
    • Year 2013
    • Main structure
    • Status Unrealised proposals
    • Type Urban development plans / Adaptive reuse of industrial sites / Landscape/territorial planning / Urban Renewal / Strategic Urban Plans
    Archilovers On Instagram
    Lovers 13 users